um dia em versailles

um dia em versailles

Risadas jogadas ao vento por onde ecoa uma certa saudade. Um tempo em que o calor do amarelo do sol e o gosto dos macarons andam juntos meio desengonçados em caminhos por vezes tão velhos. Ainda me lembro da primeira vez que assisti a Marie Antoinette, filme da Sofia Coppola lançado em 2006. Mais ainda, da trilha sonora que acompanha o filme, que gosto de escutar sempre. Em 2011 fui a Paris pela primeira vez e uma das visitas mais esperadas era visitar o Château de Versailles. Liguei Hong Kong Garden, coloquei os fones de ouvido e fui passando por entre as grades douradas que reluziam com o sol. Andando pelo palácio me lembrei de uma cena que me marcou muito no filme: quando seu filho morre, e a cena é retratada pelos serviçais trocando um quadro da família real.

É uma visita que me toca de alguma forma, e o lugar é muito bonito mesmo que normalmente esteja lotado de turistas. Durante a ida de O Chef e a Chata passamos um dia lá e mostramos um pouquinho pra você:

A visita inclui ver o palácio, onde os cômodos mais legais são a famosa galeria dos espelhos, o quarto da rainha e o quarto do rei. A galeria é impressionante. o rei Louis XIV destruiu 6 cômodos dos apartamentos do rei e da rainha para criar esta galeria. Foi feita pra imortalizar a glória do soberano. Os extensos jardins levam até a Domaine de Marie Antoinette, composta pelo Petit Trianon, os jardins e o Hameau, uma pequena fazenda, que é onde a rainha vivia alguns de seus dias num lado mais campestre. Basta uma caminhada de cerca de 30 minutos entre o palácio e a Domaine, mas decidimos alugar um carrinho e foi das coisas mais divertidas de toda a viagem.

versailles_04

versailles_03

A entrada pra visitar tudo durante um dia custa 18 euros em dias normais ou 25 euros em dias dos jardins musicais (acabou sendo o dia que pegamos). Várias vezes costuma-se ter exposições temporárias por lá e dessa vez pelos jardins estavam espalhadas as obras de Anish Kapoor, que geraram um pouco de controvérsia por dizerem que uma das esculturas parecia uma vagina gigante (achei besteira dizerem isso, adorei ver suas obras pelos jardins). O carrinho custa 32 euros a hora e leva até 4 pessoas.

Algumas dicas: tente ver o palácio logo cedo, na abertura, ou mais tarde, após as 15h, pois fica mais vazio. Em momentos fora isso visite o Domaine, os parques. Acho necessário reservar um dia da viagem pra Versailles. Quando gravamos decidimos que íamos direto em pontos específicos pra poder voltar mais cedo pra Paris. Mesmo assim, acabamos ficando por lá de 10h às 18h e acabamos pegando uma muvuca na estação pra comprar bilhete na volta. Uma dica? Compre o bilhete da volta assim que chegar na estação em Versailles. Ele é válido sem restrições de dia ou horário. Ficamos mais de uma hora na fila dos dois únicos guichês eletrônicos. A forma de transporte que prefiro é pegar o RER C. Você pode pegá-lo em diversas estações de metrô por Paris: Saint Michel – Notre Dame, Musée d’Orsay, Invalides, Pont d’Alma, Champs de Mars Tour Eiffel. Desça na estação Versailles – Rive Gauche. Durante junho e julho ainda existem os belíssimos espetáculos noturnos de fogos de artifício, é legal conferir no site quando e quanto é.

Compre seu bilhete pelo site, a fila de entrada é bem menor. Coloque Hong Kong Garden nos ouvidos, gritem “eu sou rica” e aproveitem um dia muito agradável num lugar muito bonito.

versailles_02

Site oficial: chateauversailles.fr. Fechado nas segundas-feiras, 1º de janeiro, 1º de maio e 25 de dezembro.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>