Posts com Tag ‘masseria’

massa fresca

abril 24, 2012

Até o ano passado eu tinha a minha ‘masseria’ em BH, onde eu fazia massa sob encomendas e pra serviços de buffet. Todo mundo sempre me perguntava os segredos da massa, e eu dizia: feito com afeto! Mas é a pura verdade. É que nem o pão de queijo da minha avó. Eu tenho receita, vi ela fazendo diversas vezes e anotei tudinho o que precisava ser feito, mas quando eu fazia… Sei lá, não tinha o gosto do da minha avó.

Mesmo assim, resolvi passar minha receita de massas aqui. Meu segredo do molho vermelho… mmm, bem deixa pra outro dia, esse ainda todo mundo cobiça!

para 500g de massa fresca

:: 350g de farinha de trigo

:: 3 ovos (eu costumo usar ovos caipiras, mas caipiras mesmo, só pra massa ficar bem amarelinha)

:: 1 fio de azeite

:: uma colher (de sopa) rasa de sal

:: água (só se a massa estiver muito seca e ‘pedir’)

Faça uma coroa com a farinha de trigo sob uma superfície (tipo uma bancada de granito). No centro coloque os ovos, o azeite e o sal. Comece a fazer movimentos circulares no ovo, puxando um pouquinho da farinha por vez. Aos poucos uma massa vai se formando. Sove bastante com as mãos. Se estiver muito seca, coloque água, bem pouquinho, e sove. Quando a massa ficar homogênea está boa. Ela é bem dura mesmo!

Para abrir… Bem, você pode fazer no rolo, mas é provável que a massa vá ficar grossa, então se você tiver uma máquininha dessas, que seja de abrir massa de pastel, use-a! Passe pedaços de massa quantas vezes for preciso, até que ela fique fininha, maleável e pronta a ser cortada. Se você tem uma de massas mesmo, vá regulando pra que a cada vez que passe ela fique um pouco mais fina. Ao final, esparrame farinha de trigo sobre a superfície e corte elas, com a faca mesmo.

Pra fazer um fettuccine, por exemplo, eu dobro a massa quatro vezes e corto com a faca. Assim, quando abro, estão os fios soltos e cortados com mais facilidade. Deixe secar levemente, faça ninhos e coloque em um recipiente fechado e mantenha na geladeira (se você não for fazer imediatamente). Pode ficar 7 dias na geladeira e você também pode congelar por até 3 meses.

Acho que meu único segredinho mesmo são os ovos caipiras. A cor fica mais bonita. Espero que tenham gostado! Deu saudade dos meus dias abrindo massa!

Rendimento :: 500g de massa

Tempo de preparo :: cerca de 1h30

Dificuldade :: média

Fotos inicial e final por Gianfranco Briceño

pappardelle ao alho, azeite e champignons

janeiro 4, 2012

Quero começar agradecendo aos muitos comentários e e-mails com desejo de felicidades pra mim e pro blog nesse fim/começo de ano! Fiquei corado com tanta demonstração de afeto comigo!

Bom, fechando a masseria resolvi juntar o que tinha na geladeira e fazer uma macarronada. Sim, parei de fabricar massas frescas, ao menos por hora. Vem aí novos desafios né?

Sempre gostei bastante do pappardelle porque acho que ele envolve melhor molhos que tem muitos pedaços de alguma coisa. Sabe quando você faz um spaghetti ao alho e óleo e todo o alho vai pro fundo da panela ou da vasilha? Então, o pappardelle costuma segurar melhor esse tipo de molho. Só que eu nunca uso óleo pra esse tipo de coisa, prefiro colocar bastante azeite. E pra incrementar um pouco eu refogo champignons frescos e umas folhinhas de manjericão e pronto: taí um jantar bem simples e gostoso. É aquela receita bem clássica, só com uma cara diferente.

:: 400g de pappardelle

:: 200g de champignons de Paris

:: 8 dentes de alho

:: azeite a gosto (bastante, no caso!)

:: sal e pimenta do reino a gosto

:: um punhado de folhas de manjericão

Fatie o alho em lâminas finas. Você pode picá-lo bem pequeno se preferir, eu prefiro ele maior mesmo. Limpe os champignons e fatie-os também.

Leve o macarrão para cozinhar em bastante água. Enquanto ele cozinhe refogue o alho no azeite em outra panela. Quando o alho começar a corar junte o champignon e só dê uma leve refogada. O champignon não precisa cozinhar, é só uma leve passada no azeite mesmo. O alho só precisa cuidado pra não deixar queimar, senão o gosto fica muito ruim. É muito rápido.

Misture esse ‘molho’ à massa cozida, salpique um pouco de sal e pimenta e se precisar adicione mais azeite. Sirva com parmesão e salpique as folhas de manjericão pra servir.

Rendimento :: 4 porções

Tempo de preparo :: 30 minutos

Dificuldade :: fácil

macarrão com almôndegas

setembro 1, 2011

Segunda-feira falei aqui sobre comfort food e eu sempre acho que são ótimas alternativas pra quando estamos meio pra baixo. Comfort food pode ser aquela comida que te lembra infância, pode ser um gosto que te lembra uma passagem boa da vida ou mesmo uma viagem, e é sempre aquela que nos conforta mesmo, geralmente por aquele paladar nos trazer recordações gratas à nossa vida.

Sinto que as pessoas são carregadas de valores diferentes, cada uma a seu gosto e desgosto. Umas agradando e outra nem ligando. Umas preocupadas e algumas despojadas. O segredo é ser você. Ok, frase balela. Quando você se interessa numa conversa consigo mesmo tudo muda. Você descobre um mundo de afinidades e infinidades. Você passa a ser notado, respeitado e admirado. Desperta dispersões. E tambem a inveja. Mas não se preocupe com ela.

A inveja nada mais é que uma aliada, pois você não seria invejado se não fosse respeitado. Afinal, as únicas pessoas não-invejáveis são as medíocres.

:: 500g de macarrão tipo spaghetti

:: queijo tipo parmesão ralado

para as almôndegas

:: 500g de carne moída

:: 1 ovo

:: 1 colher (sopa) de mostarda tipo Dijon (opcional)

:: 1/2 cebola picadinha

:: cerca de 50g de farinha de rosca

:: sal

:: pimenta calabresa

para o molho

:: manteiga

:: sal

:: 2 latas de tomate pelado

:: 3 dentes de alho

:: a outra metade da cebola picada

:: folhas de manjericão

Faça as almôndegas: Misture todos os ingredientes, temperando com sal e pimenta calabresa a gosto. Eu particularmente gosto mais picante. Se precisar, vá colocando mais farinha de rosca até dar o ponto, mas não exagere nela! A mostarda dá um toque todo especial para as almôndegas, experimente!

Monte bolinhas. Se quiser padronizar vá pegando uma colher de sopa cheia da mistura e moldando com as palmas da mão. Numa frigideira grande coloque manteiga a gosto (costumo colocar umas 2 colheres de sopa) e coloque as almôndegas com cuidado. Vá virando a medida que forem dourando. Há quem goste de fritá-las submersas em óleo, eu prefiro assim.

Pique as latas de tomate pelado e o alho. Quando as almôndegas estiverem douradinhas acrescente a cebola e o alho na frigideira e deixe refogar um pouco. Junte o tomate picado, mexa e deixe cozinhar um pouco. Enquanto isso, coloque o spaghetti em água fervente e cozinhe de acordo com as instruções da embalagem.

Quando estiver cozido, escorra e jogue na frigideira com o molho. Misture e sirva com uma boa camada de parmesão ralado. Gosto de servir assim mesmo, tem bem cara e sabor de feito em casa, na hora. E foi realmente feito assim!

Tempo de preparo :: 40 minutos

Rendimento :: 5 porções

Dificuldade :: fácil

Fotos Masseria: Gianfranco Briceño

pasta alla carbonara

junho 14, 2011

Reza a lenda que essa receita típica italiana nasceu na Roma Antiga. Não se sabe bem ao certo a origem do nome. Ele vem da palavra carbone, que em italiano significa carvão. Dizem que ganhou esse nome porque a pimenta preta ralada em cima do prato lembrava pedacinhos de carvão. Comendo na Itália, achei bem diferente das carbonaras que já comi em restaurantes no Brasil. Aqui se usa o jeito anglo-americano de fazer a carbonara, com poucas gemas e sem a pimenta preta que caracteriza o nome. Mas aqui nesse post ensino a receita original e deliciosa que comi por lá!

:: 400g de fettuccine ou spaghetti

:: 4 gemas de ovo

:: 1 colher (sopa) de manteiga

:: 150g de bacon picadinho

:: 200ml de creme de leite (de preferência o fresco)

:: sal

:: pimenta do reino moída na hora

Refogue o bacon na manteiga até que ele fique bem corado. Separe as claras das gemas, colocando-as em um bowl (as claras podem ser usadas para alguma outra receita).

Tempere as gemas com sal e pimenta do reino moída na hora. Cuidado com o sal pois a receita leva bastante bacon e ele já costuma ser salgado por si só. Junte o creme de leite e bata com ajuda de um fuet ou um garfo. Reserve.

Cozinhe a massa (utilizei massa fresca feita em casa, né?).

Escorra e misture o bacon e o molho. Você deve se perguntar: as gemas ficam cruas no creme de leite? Sim. As gemas não podem cozinhar! Elas simplesmente esquentam quando você coloca o molho na massa e bacon quentes. Não se preocupe, fica uma delícia assim mesmo. Sirva com queijo pecorino ralado (ou parmesão). E não se esqueça do que dá nome ao prato: basta moer bastante pimenta do reino preta por cima. Se você não tem um moedor, coloque pimentas em grão dentro de um pano de prato e bata nelas com um martelo de cozinha, triturando-as.

Rendimento :: 4 porções

Tempo de preparo :: 20 minutos

Dificuldade :: fácil