o chef, a chata e meus mercados preferidos de Paris

o chef, a chata e meus mercados preferidos de Paris

Vez ou outra alguém me pergunta qual o meu marché (mercado) preferido em Paris. É interessante ver a quantidade deles pela cidade. Acaba que muitas pessoas acham um perto de casa. Naquele programa My Little Paris Kitchen, por exemplo, mostra o de Belleville, a região onde a Rachel Khoo morava. O mais famoso em Paris é o da Bastille, mas acho muito cheio de turistas e meio feito pra turistas, sabe? Sei que muitos se interessam, mas não é onde vejo os parisienses irem.

ochefeachata_marches02

E é aí que entra um mercado que fica há poucos quarteirões do da Bastille: o Marché d’Aligre. Gosto de fazer um trocadilho tosco e chamá-lo de Marché Alegre, pois é a sensação que tenho ali, principalmente aos domingos de manhã. Situado na praça d’Aligre, entre a Faubourg Saint Antoine e a Rue de Charenton, foi criado no século XVIII pra abastecer aos moradores da região, que eram em sua maioria artesãos de ébénisterie (não sei bem traduzir essa palavra, mas são aqueles móveis bem típicos franceses de antigamente, feitos em madeira toda trabalhada sabe? Do estilo dos que você vê no Château de Versailles, por exemplo). O nome do mercado vem do sobrenome de uma senhora que ajudava muito o Hospício que ficava logo ali do lado, o Hospice des Enfants Trouvés (que hoje virou uma pracinha fofa na região, a Square Trousseau).

Um lugar que adoro ir pra comprar ingredientes difíceis de se encontrar é a Galeries Lafayette Gourmet, perto da Opéra. É um mercado novo (tá completando 1 ano semana que vem!), e que é muito legal porque você pode provar de tudo. Ele é todo dividido em seções: peixes, queijos, carnes, legumes e frutas. Em cada seção existem mesinhas com cardápios e várias pessoas entendidas que podem te ajudar a escolher alguma coisa pra comer ali. É um lugar mais amigável aos turistas também, porque você consegue falar em inglês com muita gente e até em português na parte de vinhos. Conhecemos lá o Maurício, um brasileiro. Nesse especial de O Chef e a Chata a gente mostra um pouco do que a gente viu nos dois marchés:

ochefeachata_marches05

Falando um pouquinho mais sobre o Marché d’Aligre: De terça a domingo, de 7h às 13h (no domingo até 14h) o mercado aberto vende frutas e legumes de todos os tipos. Foi ali que descobri muita coisa como as cenouras roxas. Na parte externa também existem banquinhas de livros antigos, discos de vinil, antiguidades e afins. Na parte coberta, que funciona em um horário comercial (de 8h às 18h, terça a domingo), você encontra todo o resto. É ali, na parte coberta que fica uma fromagerie (queijaria) que adoro. O crème fraîche (creme de leite fresco) de lá também é sensacional: lembra muito o nosso requeijão, é super encorpado e tem uma textura incrível. Um creme de leite bem espesso que não serve pra bater chantilly, mas fica excelente pra alguns cremes, mousses, soufflés e pratos salgados. Os queijos então… Acabo sempre levando ao menos um pedaço de Comté, Tomme ou Cantal. Existem duas fromageries no mercado, mas é fácil de achar a que eu estou dizendo: sempre tem uma fila grande pra comprar queijo. Já vi o Romain Duris (ator francês super famoso na França, no Brasil talvez um pouquinho conhecido pelos filmes Albergue Espanhol, A Espuma dos Dias e De Tanto Bater Meu Coração Parou) nessa fila pra comprar queijo. Infelizmente o mercado pegou fogo no final do mês de junho e a previsão de reabertura é por agora, em setembro.

ochefeachata_marches03 ochefeachata_marches04

Sobre a Galeries Lafayette Gourmet: É muito legal encontrar de tudo ali. É um supermercado, que você pode comprar desde ovos até todo tipo de tempero imaginável. Algo que adoro observar são as frutas e legumes. Lembro de no fim do ano passado encontrar couve-flor roxa e amarela por lá. Dessa vez fomos na época de frutas vermelhas, e eles nos apresentaram o fraise-framboise, uma mistura de morango e framboesa que a Lu apelidou de framorango. Ali também tem um andar com muitas pâtisseries que gosto: Pierre Hermé, Sadahoru Aoki, l’éclair de Génie, Chocolat Alain Ducasse. Já falei de algumas delas por aqui no blog, mas fizemos um episódio especial só sobre isso que vai pro ar daqui daqui algumas semanas. É aqui que também fica uma das minhas padarias preferidas de Paris: a Liberté. Meus favoritos: o croissant, o pain au chocolat e a tradition au chocolat, que é uma mini baguette feita com cacau em pó e pepitas de chocolate que eu amo pra fazer sanduíches, recheando com presunto cru, queijo e folhas. Lá também a gente compra a manteiga Bordier, que é considerada a melhor do mundo (e é maravilhosa mesmo!). Fica aberta de segunda a sábado, de 9h às 20h, no Boulevard Haussman, em frente ao famoso número 40.

Das coisas mais gostosas pra se fazer em Paris é comprar coisas em um mercado e ir fazer um piquenique em algum dos vários parques da cidade, se o tempo permitir. Eu adorava aos domingos passar no marché pra comprar frango assado, queijo, pão, algumas frutinhas e vinho e só aproveitar o dia, com calma e com comida incrível!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>